Apesar de poder significar muitas coisas, Panquecas frias não tem exatamente um porquê. Passamos meia hora pesquisando, francês, inglês, italiano, hebraico, para no fim colocar uma coisa realmente idiota e sem sentido. Como as únicas opiniões que importam são as nossas, resolvemos deixar assim.

Então tá, vocês pediram e aqui está a primeira parte da história :) hoho.  Amo vocês.

PARTE 1-


Faziam seis anos que não a via. Sua única filha. Elas sempre conversavam por telefone, mas agora era diferente. Damie era um amor de menina, doce e verdadeira, o sonho de qualquer mãe. Até de Juliet Malth. Que já havia aceitado que nascera pra ser sozinha. Ela não tinha amigos e nem namorava por opção própria. Já havia tentado antes e percebera que não dava mesmo certo. Seu casamento fora um erro e sua filha também. Mas ela não conseguia não amá-la. Até já dissera o contrário em alguns de seus ataques de histeria. Agora que ia muito bem psicologicamente, já tinha plena consciência de que era amor o que ela sentia. Estava bastante feliz por tê-la, mesmo que por pouco tempo. Porém tinha fé de que, se tudo decorresse bem naquela semana, ela poderia receber a filha mais vezes. E nada podia dar errado. Era só uma criança. Foi o que disse seu psiquiatra nas duas últimas consultas.

2 tagarelas:

Lucas disse...

Posta o outro ( Se possível os outros :D).

panquecas frias disse...

ai tem calma né!! eu avisei que ia postar por partes... sem pressão por favor

Postar um comentário

Subscribe
Web Statistics